Postagens

Postagem em destaque

Escafandrista

Procura-se um amor maduro
de alma grisalha
e mente saudável
Amor que tenha sorriso frouxo
e que não queira contar o tempo
e nem medir o trono
Amor que traga morada
e deixa habitar seu abraço

Procura-se amor que seja paz
e ajude a arrumar a bagunça de dentro
enquanto desarruma a roupa de cama
Desarticula os fios da mente
E vive a sanidade dos loucos
Que seja mais amor que gente
mais alma que corpo

E se por acaso me virem mergulhar em um amor feito esse
me deixem afogar
e jamais me devolvam à superfície.


Instagram: @xuniormatraga

Rebeldia

Entendam: Este é meu ato político. Em tempos como estes em que os discursos são de ódio, desprezo à arte e à poesia  Falar de AMOR ainda é minha maior rebeldia.
Xúnior Matraga

Que me perdoem as borboletas...

todo passarinho é um poeta...

Livro de poesias

Tenha cuidado ao virar a primeira página de um livro de poesias
Cada verso ali está carregado de sentidos
Seria uma tragédia se esse livro esquecido
Ficasse a namorar o vento
Sem dizer o que precisa ser dito
Estacionado no meio do tempo
Tenha cuidado, eu repito
E não é pela dor que ela possa causar a ti,
A poesia é sempre pequena, inofensiva e singela
O cuidado é pelos danos que você pode causar a ela.

Xúnior Matraga

Libertação

Desde os tempos dos escravos
Somos negros, homens fartos Presos dentro de um casco Buscando a libertação
Não sabendo que podia Nesta minha infância fria Que um dia descobriria Ser letrado em solidão
E minha esperança torta Completando a alma morta Enxergando ao longe a porta Que me abre o coração
Neste ínterim espero
Pois se nunca desespero
Me permito ser austero
Com minha própria mansidão

Desde já me ponho à prova
Preso dentro de uma alcova
Defendendo-me na alcáçova
Deste pobre coração

Da vida não espero nada
Minha nobre e doce calma
Quer alforriar minh'alma
Desta grande ilusão

Xúnior Matraga
Sobre a família que me move e sobre a poesia que me inspira. Sobre o amor que me abastece e sobre o processo de evolução do espírito. Sobre a felicidade das "horinhas de descuido" e sobre o que fazer dela. Sobre paz e sobre os lares que ela sempre nos traz.

Oração ateia

Encerro um deus Para que nasçam e convivam em harmonia todos os deuses Destituo a religião do seu sagrado Eu consagro o profano e o pecado Eu liberto o pecador de sua consciência perturbadora Já não há um só caminho E não há um só amor Convido a todos a dar-se as mãos Unamo-nos assembleia Apossemos deste palco Sem receio, sem pavor Eu sou criatura, não sou criador Só proclamo minha estreia E declamo, solenemente, essa oração ateia.
Xúnior Matraga

Balé infinito

Teu corpo é um balé, moça
Equilibra teu ser no limite
Flutua segura tua força delicada
   Se joga
                         Se lança
Tua forte poesia em dança
revela o teu segredo
Não há por que ter medo
O infinito é o teu lugar
Quem baila com os pés é a tua alma
Você já aprendeu a voar...

Xúnior Matraga